Dica de leitura: Sem Lugar Para se Esconder. De Glenn Greenwald

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest

A versão de segunda mão, em português, de Sem Lugar Para se Esconder, do jornalista norte-americano Glenn Greenwald, pode ser encontrada na Estante Virtual por R$ 18,00.

Com certeza, vale o investimento.

No livro, o autor, Glenn Greenwald, explica como foi o processo de apuração da reportagem a partir do encontro com Edward Snowden e as revelações da espionagem do governo norte-americano, através da agência NSA — a Agência de Segurança Nacional.

Snowden é um analista de sistemas, ex-administrador de sistemas da CIA e ex-contratado da NSA, que tornou públicos detalhes de vários programas que constituem o sistema de vigilância global da agência americana.

Greenwald é o editor do site The Intercept, cuja versão brasileira publica desde domingo uma série de reportagens baseadas numa imensa quantidade de dados (maior até mesmo que do caso Snowden).

Articulação em rede

As reportagens publicadas até agora expõem a ação articulada entre o então juiz e hoje ministro da Justiça, Sergio Moro, o procurador da Operação Lava-Jato Deltan Dallagnol e o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux. Entre outras conexões.

E, segundo informações do próprio Greenwald, apenas cerca de 1% do material recebido por uma fonte anônima foi analisado até o momento.

Ler Sem Lugar Para Se Esconder dá uma ideia da profundidade e capacidade estratégica do autor.

Brasil, alvo de espionagem diplomática

Na página 147, o autor mostra que a NSA também se dedica à espionagem diplomática.

A NSA também se dedica à espionagem diplomática, como demonstram os documentos referentes a questões políticas. Um exemplo particularmente chocante, de 2011, mostra que a agência teve como o alvo dois líderes latino-americanos — a atual presidente do Brasil, Dilma Rousseff, assim como seus principais consultores, e o líder da disputa presidencial (e hoje presidente) do México Enrique Peña Nieto, junto com nove de seus colaboradores mais próximos — para um esforço especial de vigilância especialmente invasiva. O documento chega a incluir algumas das mensagens de texto interceptadas entre Nieto e um colaborador próximo.

Em outro trecho do livro, na página 149, Greenwald escreve:

Pode-se especular sobre o motivo que levou líderes políticos do Brasil e do México a serem alvos da NSA. Ambos os países são ricos em recursos petrolíferos e têm uma presença forte e influente em suas regiões. Além disso, embora estejam longe de ser adversários, também não são os aliados mais próximos e confiáveis dos Estados Unidos.

Com certeza, a leitura de Sem Lugar Para Se Esconder à luz dos novos fatos que estão sendo relevados pelo The Intercept pode dar uma dimensão mais clara de quem é Gleen Greenwald profissionalmente.

Assine o Oa e tenha acesso ao conteúdo completo do site.

Oa, jornalismo a serviço da sociedade.

 

Fechar Menu