Bioconstrução é tema de oficina gratuita na cidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest

Uma oficina sobre bioconstrução acontece neste sábado (26), das 9h às 17h, no Projeto Ecoar. Como é uma oficina prática, que vai lidar com barro, recicláveis e madeira, recomenda-se roupas confortáveis e usadas.

O convidado é o arte-educador Vanilson da Silva Rosa, também agente socioambiental formado pela Umapaz (Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cultura para a Paz), da Prefeitura de São Paulo. Atua nos coletivos Casa Ecoativa e Imargem e também na Escola Adriano Bernardes.

A proposta ocorre dentro de uma vertente da permacultura, com algumas técnicas de bioconstrução que a partir de uma visão ampla do espaço usa recursos locais. A ideia é desenvolver um banco de “superadobe”, técnica de terra ensacada e reboco natural de terra como acabamento. A oficina é interativa, com a participação de pessoas da escola e do bairro.

O local será um espaço da Escola Orozimbo Sóstena (avenida Vicente Pires Pardini, 500, Jardim Estádio). Não há custos, mas o almoço será comunitário e pede-se levar algo nesse sentido.

O Projeto Ecoar, promotor da oficina, surgiu com um edital do CMDCA (Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente) com a experiência da equipe da Almater e é voltado para a educação ambiental, a cidadania, a agroecologia e a permacultura.

A Casa Ecoativa, convidada, é centro ecocultural surgido de uma mobilização comunitária em um espaço público inativo por oito anos na ilha do Bororé, nas margens da represa Billings, no extremo sul da capital.

A conexão entre grupos culturais atuantes da região do Grajaú gerou uma espécie de “organismo vivo”, com programação que une o acesso à cultura e lazer com a discussão sobre práticas sustentáveis.

Fechar Menu